Uma Grande Lição de uma Mãe Virtuosa para Filha

Uma jovem filha conta para sua mãe sua intenção de praticar o zina (relação sexual ilícita).

A mãe lhe explica a gravidade desse ato Muharram (proibido por Allah, Exaltado e Glorificado Sejas), e suas conseqüências morais, sociais e para seu deen, mas mesmo assim a menina insiste, então a mãe lhe diz:

Eu vou lhe propor alguns testes e se você concluí-los com êxito, poderá escolher entre cometer o zina ou não!

A filha concorda com a proposta, então a mãe lhe fala:

O primeiro teste é o seguinte: Amanhã você deve passar em frente ao palácio do governador e quando este sair de casa chame a atenção dele para sua pessoa, faça como se estivesse com um mal estar e desmaie na frente dele.

Na manhã seguinte a menina vai para frente do palácio do governador, espera este sair e quando o avista finge cansaço e cai no chão, como se estivesse desmaiada. O governador a vê, vai imediatamente ao seu encontro e com um grande interesse a socorre. A filha age como se recuperasse a consciência, agradece e vai ao encontro de sua mãe contar o que aconteceu. O primeiro teste estava concluído.

No dia seguinte a filha perguntou, qual é o teste de hoje? E a mãe responde:

Você deve ir ao mesmo lugar e finja que está passando mal novamente. A menina assim faz, mas o resultado foi um pouco diferente. O governador passa por ela sem lhe dar atenção e quem a socorre é o seu secretário, e a deixa, ela fica rodeada pelos seguranças. Ela recupera sua consciência e conta a mãe o que aconteceu.

No dia seguinte a filha perguntou, qual é o teste de hoje? E a mãe responde:

Você deve ir ao mesmo lugar e fingir novamente o desmaio. A menina obedece. O governador e seu secretário passam por ela e os seguranças a tiram do caminhos para que seus chefes possam passar, e a socorrem. Ela se recobra e conta a sua mãe o ocorrido.

No dia seguinte a filha perguntou, qual é o teste de hoje? E a mãe responde:

Agora quero que você repita essa cena no mesmo lugar e ao terminar o dia seu teste estará concluído. A menina assim procede e conta o que ocorreu:

Esse teste foi o mais difícil, pois ninguém me ajudou, fiquei caída na rua, rodeadas de pessoas estranhas, muitos riam de mim e alguns até mesmo chegaram a me chutar!

A sábia mãe responde:

Assim é o zina minha filha, no início você atrairá a atenção de homens belos e ricos, mas sua prática destrói a sua honra, tira sua dignidade, tornando-a vulgar e até mesmo o mais desprezíveis dos homens passará a humilhá-la. Você vai ficando cada vez mais só, até suas amigas a deixarão, pois sentirão vergonha de você!

O zina é como vidro, quando se quebra difícil voltar atrás! Ele retira sua beleza interna e a deixa sem vida, sem valor!
A prática do zina traz conseqüências a essa vida e a outra...

Disse o Profeta Muhammad (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele):

"Ó crentes! Afastai-vos do zina, pois ele traz seis conseqüências.  Três neste mundo e outras três no outro. As três deste mundo são: A luz espiritual da face desaparece, a vida encurta-se e a pessoa empobrece. As três do outro mundo são: O descontentamento de Allah, Exaltado e Glorificado Sejas; a prestação de contas no Dia do Julgamento se torna difícil e conduz a pessoa para o castigo de Jahannam (inferno)."

Minha filha, Você ainda quer praticar o zina?

A menina acena negativamente com sua cabeça, abaixa seus olhos e agradece a lição aprendida...

Diz Allah, Exaltado e Glorificado Sejas, no Sagrado Quran:

"E não vos aproximei do zina (adultério, fornicação). Por certo ele é obscenidade e que vil caminho!  (Al Isráa: 32)

E ainda: "Quanto àqueles que praticaram o zina,  castigai-os com cem chicotadas, cada um; que a vossa compaixão não vos demova de cumprirdes a lei de Deus, se realmente credes em Deus e no Dia do Juízo Final. Que uma parte dos crentes testemunhe o castigo." (An Nur : 2)

Esse versículo foi revelado para as pessoas solteiras que praticam o zina, já para as pessoas casadas a punição é a pena de morte e isso é um indício da gravidade do ato! Para um ato com graves conseqüências sociais e morais, uma punição severa!

O Profeta, que a paz e bênçãos de Allah esteja sobre ele, disse: "O zina dos olhos é olhar para aquilo que é haram (ilícito); o zina dos ouvidos é ouvir aquilo que é haram (ilícito); o zina da língua é falar aquilo que é haram (ilícito); o zina das mãos é tocar aquilo que é haram; o zina dos pés é andar em direção ao haram; o zina do coração é desejar aquilo que é haram; o zina da parte íntima é quando ela pratica aquilo que é haram."

E ainda: "Quando o jovem atinge a puberdade deve se lhe fazer casar.  Se ele atingir a puberdade e o pai não lhe fizer casar (e como tal cometer o adultério), então o pecado recairá sobre o pai.Por isso, logo que o indivíduo atinge a puberdade mental, os pais e os tutores não devem atrasar o seu casamento para salvá-lo da prática do pecado.  Os pais serão pecadores se permitirem que homens estranhos visitem as filhas em suas casas e vice-versa.

Consta nas tradições islâmicas, que no Dia da Ressurreição, as mãos do homem que toca, com cobiça, uma mulher estranha (que não seja esposa legitima) estarão algemadas ao seu pescoço.  Se ele beijou-a, os seus lábios serão cortados e levaodos ao fogo do inferno.  Se manteve relação sexual com ela, suas coxas testemunharão isso contra ele e dir-lhe-ão: "Eu fui usada para praticar algo proibido." Allah olhará para ele com ira.

É narrado por Samura, um sonho do Profeta (que a paz e bênçãos estejam sobre ele): "Jibraíl e Mikaíl vieram ter com o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele), e se encaminharam para algo parecido com um forno, cuja boca era apertada, mas por dentro era amplo, de onde ouviam-se gritos e muito barulho. O Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele)  diz que olharam para dentro e viram homens e mulheres nus e também chamas em baixo deles.  Quando as chamas chamuscavam-os, eles gritavam.  Ele perguntou a Jibraíl quem era aquela gente. Jibrail respondeu: "Esses são os homens e mulheres que cometeram o grave ato do Zina.  Esse será o castigo deles até ao Dia de Quiyámah (Dia do Juízo Final)." (Relato de AI-Bukhari)

A palavra zina é entendida como adultério ou qualquer relação intima, que envolva ato ou desejo sexual fora do casamento. É evidente o mal que essa prática causa à sociedade, que além desestruturar o núcleo familiar, que é a base de uma sociedade estável e saudável, gera a transmissão de doenças, como a AIDS, sífilis, entre outras.

Os grandes responsáveis pela orientação de seus filhos são seus pais, que devem incentivar o casamento, que afasta seus filhos do zina e lhes proporciona a forma lícita da realização de seus desejos naturais. Especialmente as mães, devem se voltar aos ensinamentos islâmicos,  priorizando a convivência familiar ao invés das preocupações com carreiras fora de casa.

Oh Allah, Exaltado e Glorificado Sejas, proteja a nós e a nossos familiares contra o zina e contra tudo aquilo que  Tu designaste ilícito!