Modos e características do Profeta

1. Intelecto destacável: O Mensageiro tinha um intelecto excelente, completo e destacável. Nenhum homem teve um intelecto tão completo e perfeito como ele. Qadhi Iyaadh(erudito) que Deus tenha piedade dele, disse:
Isto se faz evidente quando o pesquisador lê a biografia do Profeta e entende sua situação, suas significativas e compreensivas palavras, suas tradições, seus bons modos, sua ética e sua moral; seu conhecimento da Tora, do Evangelho, das Divinas Escrituras; seu conhecimento das palavras dos sábios e dos povos antepassados, sua capacidade de mostrar exemplos e de implementar políticas e comportamentos corretos . Foi um exemplo e um paradigma que sua gente procurava em todos os ramos do conhecimento; atos de adoração, medicina, leis de sucessão, linhagem e outros temas. Conhecia e aprendia tudo sem ler nem examinar as Escrituras daqueles que nos antecederam; também não se sentava com especialistas. O Profeta não teve uma educação formal, e ainda assim, sabia todo o conhecimento passado; foi designado como Profeta, sem saber ler nem escrever.
O Profeta
era sábio no máximo de sua capacidade. Deus, o Altíssimo, informou-lhe do que havia acontecido, (no passado) e do que aconteceria no futuro. É um sinal de que o Domínio pertence a Deus, e de que ele é capaz de tudo.’(Qadhi Eiyadh, Al-Shifa bitarifi Hoquqil-Mostafa)

2. Fazer coisas em Nome de Deus: O Profeta sempre realizava ações através das quais buscava agradar a Deus. Foi atacado e perseguido quando convidava o povo para o Islã; ainda assim teve paciência e tolerou, e sempre teve esperanças na recompensa de Deus. Abdullah b. Masud, que Deus esteja comprazido com ele, disse:
É como se estivesse olhando o Profeta
, falando sobre um Profeta que foi magoado pelo seu povo. Limpou o sangue do rosto e disse: Oh Deus ! Perdoa meu povo, pois não sabe o que faz! (Bujari, 3290) Yundub b. Sufyaan, que Deus esteja comprazido com ele, disse que o Mensageiro tinha um dedo sangrando durante uma das batalhas, e disse: Não és mais do que um dedo que sangra; que sofre no caminho de Deus. (Bujari, 2648).

3. Sinceridade: O Profeta era sincero e honesto em todos os aspectos, tal como lhe havia ordenado Deus. O Altíssimo disse no Alcorão: Diga-lhes: Por certo que minha oração, minha oblação, minha vida e minha morte pertencem a Deus , Senhor do Universo, Quem não tem co-participantes . Isto é o que me ordenaram crer, e sou o primeiro, desta nação, a submeter-se a Deus. [6:162-163]

4. Boa moral, ética e companheirismo: Aishah, sua esposa, ao ser questionada sobre o comportamento do Profeta disse: Seus modos eram o Alcorão. Isto significa que o Profeta se regia pelas leis e mandamentos corânicos e se abstinha do que o Alcorão proibia. Cumpria com todos os seus atos virtuosos. O Profeta disse: Deus me enviou para aperfeiçoar os bons costumes e completar as boas ações. (Bujari y Ahmad). Deus, o Altíssimo, descreveu o Profetada seguinte maneira: Certamente és de uma natureza e moral grandiosas. [68:4] Anas b. Malik, que Deus esteja comprazido com ele, foi o serviçal do Profeta durante dez anos, dia após dia, durante suas viagens e também quando residia em Medina. Durante esse tempo, conheceu os modos do Profeta. A esse respeito, disse: O Profeta não insultava ninguém, também não era grosseiro nem maldizia. Quando acusava alguém, dizia: Que lhe sucede! Que seu rosto se encha de pó. (Bujari, 5684)

5. Amabilidade e bons modos: Sahl b. Sad, que Deus esteja comprazido com ele, narrou: Trouxeram-lhe algo para o Profeta beber e ele bebeu. À sua direita havia um menino e à sua esquerda uns anciões. Perguntou ao menino: Te incomoda se lhes dou de beber? O menino respondeu: Oh Profeta de Deus! Por Deus! Não queria que ninguém, antes de mim, bebesse de onde tu bebeste. É meu direito fazê-lo, por estar sentado à tua direita(o muçulmano deve-se começar sempre pela direita). Então o Mensageiro de Deus deu de beber ao menino. (Bujari, 2319).

6. Amor pela reforma e pela reconciliação: Sahl b. Sad, que Deus esteja comprazido com ele , narrou que, numa ocasião os do povo de Qubaa(povoado nas proximidades de Medina) lutaram entre eles e se apedrejaram. O Profeta disse: Vamos resolver a situação e fazer com que façam as pazes. (Bujari,2547).

7. Ordenar fazer o bem e proibir fazer o mal: O Mensageiro de Deus viu um homem com um anel de ouro(homem muçulmano não usa ouro), tirou-o e jogou-o fora. Logo disse: Acaso colocarias uma brasa quente em tua mão? Quando o Profeta se foi, disseram ao homem que pegasse o anel e o vendesse para obter algum lucro. O homem disse: Não Deus! Jamais o pegaria depois que o Mensageiro de Deus o tivesse jogado fora. (Muslim, 2090).

8. Amor pela Purificação: Muhaayir b. Qunfudz, que Deus esteja comprazido com ele, narrou que passou pelo Profeta quando este estava urinando, e o saudou com a paz (Salam), mas o Profeta não lhe retribuiu a saudação até que se higienizou e fez a ablução; desculpou-se dizendo: Não gosto de mencionar o nome de Deus quando não estou em estado de pureza. (Ibn Juzaimah, 206).

9. Cuidar das palavras: Abdullah b. Abi Ofaa, que Deus esteja comprazido com ele , disse que o Mensageiro de Deus se ocupava com a lembrança de Deus e não falava em vão. Fazia extensas suas orações e breves seus discursos; não duvidava em ajudar e encarregar-se das necessidades dos que mais precisavam, fossem pobres ou viúvas. (Ibn Hibban, 6423).

10. Destacar- se em atos de adoração: Aishah, que Deus esteja comprazido com ela, disse que o Profeta de Deus costumava orar durante a noite até que lhe inchavam os pés. Aishah, que Deus esteja comprazido com ela, disse: Por que fazes isto, Oh Mensageiro de Deus, sendo que Deus já perdoou teus pecados, passados e futuros?. O Profeta disse: Acaso não devo ser um servo agradecido?. (Bujari, 4557)

11. Tolerância e bondade: Abu Hurairah, que Deus esteja comprazido com ele, disse que At-Tufail b. Amr ad-Dawsi e seus companheiros vieram saudar o Profeta Disseram: Oh Mensageiro de Deus, a tribo dos Daws, se negou a aceitar o Islam; suplica a Deus contra eles. Alguém disse: A tribo dos Daws está condenada e será destruída!. O Profeta levantou suas mãos e contrariamente ao solicitado disse: Oh Deus, guia a tribo dos Daws e trá-la para nós!

12. Bom aspecto: Al-Baraab b. Aazib, que Deus esteja comprazido com ele , disse: O Profeta era uma pessoa de estatura média. Suas costas eram largas. Seu cabelo chegava aos lóbulos das orelhas. Uma vez o vi usando uma vestimenta vermelha; nunca vi alguém mais belo do que ele. (Bujari, 2358)

13. Ascetismo e assuntos mundanos: Abdullah b. Masud, que Deus esteja comprazido com ele, disse: O Mensageiro de Deus dormiu uma vez sobre um tapete. Levantou-se e tinha as marcas do tapete em seu corpo. Perguntamos: Mensageiro de Deus, queres que te façamos uma cama?. Ele respondeu: Que tenho eu a ver com este mundo? Não sou mais que um viajante que viaja com sua montaria e se detém à sombra de uma árvore e logo retoma sua viagem. (Tirmizi, 2377)
Amr b. al-Haariz, que Deus esteja comprazido com ele, disse que o Mensageiro de Deus
não deixou riquezas depois da sua morte. Só deixou sua mula branca, suas armas e um pedaço de terra que doou para caridade. (Bujari, 2588)

14. Altruísmo: Sahl b. Sad, que Deus esteja comprazido com ele, disse: Uma mulher presenteou o Mensageiro de Deus com uma túnica. O Profeta perguntou aos seus companheiros: Sabeis o que é uma túnica?. Eles responderam: Sim, Oh Profeta de Deus! É uma peça tecida. A mulher disse: Profeta de Deus! Teci esta túnica com minhas próprias mãos para que
tu a uses. O Mensageiro de Deus
a tomou, pois precisava dela tremendamente. Depois de um momento, o Mensageiro de Deus saiu de sua casa com a túnica posta e um Companheiro lhe disse: Profeta de Deus! Dá-me essa túnica para que eu possa usá-la. O Mensageiro de Deus lhe disse: Sim. Ficou sentado um pouco e voltou a sua casa; dobrou-a e deu-a à pessoa que a havia pedido. Os Companheiros, que Deus esteja comprazido com eles, repreenderam esta pessoa dizendo-lhe: Não foi correto que tenhas pedido sua túnica; especialmente se sabes que ele não negaria nada a ninguém, nem deixaria que ninguém saísse com as mãos vazias . O homem disse: Por Deus! Somente a pedi porque quero que me envolvam com essa túnica quando eu morra. Sahl, o narrador do Hadiss, que Deus esteja comprazido com ele, disse: A túnica foi utilizada como mortalha quando esse homem morreu. (Bujari, 1987)

15. Firme fé e entrega a Deus: Abu Bakr, Deus esteja comprazido com ele, disse: Olhei os pés dos pagãos enquanto estávamos na caverna. [fugindo de seus perseguidores durante a emigração]. Disse: Oh Profeta de Deus! Se algum deles olhasse para baixo nos veria!. O Mensageiro de Deus disse: Abu Bakr! Que pensas de dois quando o Terceiro é Deus, o Altíssimo? (Muslim, 1854)

16. Bondade e compaixão: Abu Qatada, que Deus esteja comprazido com ele , disse: O Mensageiro de Deus realizava a oração enquanto levava uma menina chamada Umamah, filha de Abul-Aas. Quando se inclinava, punha-a no solo; logo parava e a carregava nos braços novamente . (Bujari, 5650)

17. Simplificação e facilidade: Anas, que Deus esteja comprazido com ele , contou que o Mensageiro de Deus disse: Começo a pregação com a intenção de estendê-la, mas quando ouço uma criança chorar, encurto-a pois sei que a mãe dessa criança sofre por seu pranto.

18. Temor a Deus, ter cuidado de não ultrapassar Seus limites e ser devoto: Abu Hurairah, que Deus esteja comprazido com ele, narrou que o Mensageiro de Deus disse: Ás vezes, quando regresso com minha família, encontro um dátil(tâmara) em minha cama. Pego-o para comer; mas tenho medo de que tenha sido dado por caridade(Foi proibido por Deus, para o Profeta e sua família, aceitar qualquer forma de caridade); por isso, deixo-o no mesmolugar. (Bujari, 2300)

19. Ser generoso: Anas bin Malik, que Deus esteja comprazido com ele, disse: Cada vez que uma pessoa aceitava o Islam, o Mensageiro de Deus concedia-lhe o que pedia. A um homem, o Profeta lhe deu um rebanho de ovelhas que estavam pastando entre as montanhas. O homem regressou ao seu povoado e disse: Oh minha gente! Aceitai o Islam! Muhammad dá tão generosamente como quem não teme a pobreza. (Muslim, 2312)

20. Cooperação: A Aishah, que Deus esteja comprazido com ela, perguntaram-lhe certa vez como se comportava o Profeta com sua família. Ela respondeu: Ajudava a todos os membros de sua família com suas tarefas; mas quando chamavam para a oração, retirava-se para realizar suas orações (na mesquita). Al-Baraa bin Azib, que Deus esteja comprazido com ele, disse: Vi o Mensageiro de Deus no Dia da batalha da Trincheira levando terra [que haviam tirado de uma trincheira] até que seu peito estava coberto de pó. Era um homem peludo. Ouvi-o repetir uns versos da poesia composta por Abdullah b. Rawaahah: Oh Deus! Se não fosse por Ti, nunca tínhamos sido guiados, nem teríamos oferecido orações, nem feito caridade.Oh Deus! Que a tranqüilidade desça sobre nós e faça-nos firmes ao enfrentar nossos inimigos. Certamente transgrediram contra nós! E se desejam uma rebelião, nós a rechaçaremos! E levantava a voz ao recitar esses versos. (Bujari, 2780)

21. Honestidade: Aishah, que Deus esteja comprazido com ela, disse: Um traço característico do Profeta era que detestava a mentira. Se um homem mentia na sua presença, o Profeta lutava até saber que o mesmo havia se arrependido da mentira. (Tirmidhi, 1973). Até seus inimigos reconheciam sua honestidade. Abu Yahl , um dos seus mais acirrados inimigos, disse: Oh Muhammad! Não digo que és um mentiroso! Somente nego a mensagem que pregas e aquilo para o que convocas as pessoas. Deus, o Altíssimo, diz: Por certo que sabemos que te causa pena o que dizem [sobre ti]. Não é a ti que desmentem, mas o que os iníquos rechaçam são os símbolos de Deus. [6:33]

22. Honrar os limites e fronteiras de Deus: Aishah, que Deus esteja comprazido com ela, disse: O Profeta sempre escolhia a mais fácil das opções, desde que não implicasse um pecado. Se o ato era pecado, afastava-se o mais que podia. Por Deus! Nunca se vingava. Só se aborrecia quando o povo transgredia os limites e fronteiras de Deus; nesse caso, fazia justiça. (Bujari, 6404)

23. Expressão facial plácida: Abdullah bin al-Hariz, que Deus esteja comprazido com ele, disse: Nunca vi um homem que sorrisse tanto como o Mensageiro de Deus. (Tirmidhi, 2641)

24. Honestidade e lealdade: O Profeta era bem conhecido por sua honestidade. Os pagãos de Meca que tinham uma hostilidade declarada por ele confiavam-lhe seus objetos de valor. Sua honestidade e lealdade foram postas à prova quando os pagãos de Meca perseguiram e torturaram seus companheiros e os expulsaram de seus lares. Ele ordenou a seu sobrinho, Ali b. Abi Talib, que Deus esteja comprazido com ele , que adiasse por três dias sua emigração, para devolver às pessoas os objetos que estavam sob sua custódia. Outro exemplo de sua honestidade e lealdade fica demonstrado na Trégua de Hudaibiyah, através da qual ele esteve de acordo com o artigo do tratado que dizia que todo homem que abandonasse o Profeta não seria devolvido, e todo homem que abandonasse Meca para unir-se ao Profeta, seria devolvido a eles. Antes de concluir o tratado, um homem chamado Abu Yandal b. Amr havia logrado escapar dos pagãos de Meca e correu a juntar-se a Muhammad. Os pagãos pediram a Muhammad que cumprisse sua promessa e lhes devolvesse o fugitivo. O Mensageiro de Deus disse: Abu Yandal! Tem paciência e pede a Deus que te conceda. Deus, seguramente, ajudará a ti e aos que são perseguidos, e te facilitará uma saída. Firmamos um acordo com eles e certamente haveremos de cumpri-lo; não nos comportaremos de forma traiçoeira. (Baihaqui, 18611)

25. Valentia e coragem: Ali, que Deus esteja comprazido com ele, disse: Deveriam ter-me visto no Dia de Badr! Refugiámo-nos com o Mensageiro de Deus. De todos nós, ele era o que estava mais perto do inimigo. Esse dia, o Mensageiro de Deus foi o mais forte de todos nós. (Ahmad, 654) Sobre a sua valentia e coragem em circunstâncias normais, Anas b. Malik, que Deus esteja comprazido com ele, disse: O Mensageiro de Deus era o melhor dos homens e o mais valente. Uma noite, o povo de Medina teve medo e enviou alguns ginetes em direção aos ruídos que se ouviam. O Mensageiro de Deus os encontrou quando regressava de onde provinha o ruído, depois de assegurar-se de que não havia nenhum problema. Vinha sobre o lombo de um cavalo que pertencia a Abu Talhah, que Deus esteja comprazido com ele, sem arreios, e tinha uma espada consigo. Disse às pessoas: Não temam! Não temam. Encontrou-se com os ginetes enquanto ia a cavalo, sem arreios , e levava sua espada, pois poderia ser necessária. Não esperava que os demais verificassem a origem dos problemas. Na Batalha de Uhud, o Mensageiro de Deus consultou seus Companheiros. Eles resolveram combater, enquanto ele não via necessidade de fazê-lo. Não obstante, aceitou seu conselho. Os Companheiros, ao saber o que sentia o Profeta, lamentaram-se pelo que haviam feito. Os Ansar disseram-lhe: Oh Profeta de Deus! Faz o que te pareça melhor. Mas ele respondeu: Não é digno de um Profeta tirar sua indumentária de combate sem lutar. (Ahmad, 14829).

26. Generosidade e hospitalidade: Ibn Abbas, que Deus esteja comprazido com ele , disse: O Profeta era o mais generoso dos homens. Era ainda mais generoso no Ramadãn, quando se encontrava com o anjo Gabriel; encontrava-se com ele todas as noites durante o Ramadan para praticar e rever o Alcorão. O Mensageiro de Deus era tão generoso, como os ventos bondosos. (Bujari, 6) Abu Dharr, que Deus esteja comprazido com ele, disse: Ia caminhando com o Profeta na Harrah, região vulcânica de Medina, e nos encontramos frente ao monte Uhud; o Profeta disse: Abu Zharr! Disse-lhe: Aqui estou, Oh Mensageiro de Deus! Ele respondeu: Não me comprazeria ter uma quantidade de ouro igual ao peso do Monte Uhud até que não o gaste e o entregue (em nome de Deus) em uma ou três noites. Guardaria um dinar para ajudar a quem tem dívidas. (Bujari, 2312) Yabir b. Abdullah, que Deus esteja comprazido com ele ,disse: O Profeta não se negava a dar nada do que tinha se alguém lhe pedisse. (Bujari, 5687)

27. Timidez e modéstia: Abu Said al-Judri, que Deus esteja comprazido com ele, disse: O Profeta era mais modesto e tímido que uma virgem. Se algo não lhe agradava, notava-se nas suas expressões faciais. (Bujari, 5751)

28. Humildade: O Mensageiro de Deus era a pessoa mais humilde. Era tão humilde que se um estranho entrava na mesquita e se aproximava de onde o Profeta estava sentado com seus Companheiros, não podia distingui-lo de seus Companheiros. Anas bin Malik, que Deus esteja comprazido com ele, disse: Uma vez, enquanto estávamos sentados com o Mensageiro de Deus na mesquita, aproximou-se um homem em seu camelo, amarrou o com uma corda e perguntou: Quem dos senhores é Muhammad? O Mensageiro de Deus encontrava-se sentado no chão, com seus Companheiros. Nós o indicamos ao beduíno: Este homem branco, que está sentado no chão, porque o Profeta não se distinguia de seus Companheiros. O Profeta não duvidava em ajudar aos pobres, necessitados ou viúvas, em suas necessidades. Anas b. Malik, que Deus esteja comprazido com ele, disse: Uma mulher de Medina que estava um pouco demente disse ao Profeta: Tenho que te pedir algo. Ele a ajudou e atendeu às suas necessidades. (Bujari, 670)

29. Misericórdia e Compaixão : Abu Masud al-Ansari disse: Um homem veio até o Profeta e disse: Mensageiro de Deus! Por Deus! Eu não rezo a oração da alvorada (na mesquita) porque fulano a alonga Disse o narrador: Nunca vi o Mensageiro de Deus pronunciar um discurso com tanto enfado. Disse: Gente! Na verdade há entre os senhores, aqueles que perseguem as pessoas! Se vos dirigirdes às pessoas em oração, sede breves. Há pessoas anciãs e frágeis, e outras com necessidades especiais, atrás de vocês nas orações . (Bujari, 670) Osama bin Zaid disse: Estávamos sentados com o Mensageiro de Deus Uma de suas filhas enviou uma pessoa para chamá-lo, para que a visitasse e ao seu filho, que estava agonizando. O Mensageiro de Deus disse à pessoa, que lhe dissesse: A Deus pertence o que toma. Ele deu um limite de tempo. Ordenou-lhe que fosse paciente e que buscasse recompensa em Deus, o Altíssimo. Sua filha enviou de volta a mesma pessoa dizendo: Profeta de Deus! Sua filha jura que deve vir. O Mensageiro de Deus parou; Sa’d bin Ubaadah e Muadth
bin Yabal acompanharam-no. O Mensageiro de Deus
sentou-se junto ao menino que agonizava. Os olhos do menino se congelaram como pedras. Ao ver isso o Mensageiro de Deus chorou. Sad perguntou-lhe: Que é isto, Profeta de Deus? Ele disse: É a misericórdia que Deus, o Altíssimo, coloca nos corações de seus servos. Deus é misericordioso com aqueles que são misericordiosos com os outros. (Bujari, 6942)

30. Perseverança e Perdão: Anas bin Malik disse: Uma vez, estava caminhando com o Mensageiro de Deus quando usava uma túnica Yemenita, com uma gola de bordas ásperas. Um beduíno agarrou-o fortemente. Olhei seu pescoço por trás e vi que a gola da túnica havia lhe deixado uma marca. O beduíno disse: Oh Muhammad! Dá-me um pouco da riqueza de Deus que tu tens.O mensageiro de Deus virou-se para o beduíno, riu e ordenou que lhe entregassem algum dinheiro. (Bujari, 2980) Outro exemplo de sua perseverança é a historia do Rabino Judeu, Zaid bin Sa’nah. Zaid emprestou algo ao Mensageiro de Deus. Zaid disse: Dois ou três dias antes da devolução da dívida, o Mensageiro de Deus assistia ao funeral de um homem dos Ansar. Abu Bakr, Umar, Uzman e alguns outros Companheiros, estavam com o Profeta. Depois de rezar a oração fúnebre sentou-se junto a uma parede; eu fui até ele, agarrei-o pelo colarinho, olhei-o de maneira severa e disse-lhe: Muhammad! Não me pagarás a dívida do empréstimo? Eu não conheci a família de Abdul-Mutalib para que se demore a devolução da minha dívida! Olhei Umar b. al-Jattaab. Seus olhos estavam cheios de raiva! Olhou-me e disse: Inimigo de Deus, falas ao Mensageiro de Deus e te diriges a ele desta maneira? Por aquele que me enviou com a verdade, se não fosse o medo de perder a entrada no Paraíso, ter-te-ia decapitado com a minha espada! O Profeta de Deus olhando para Umar de forma calma e pacífica, disse: Umar, deverias ter-nos dado um conselho sincero em vez de fazer o que fizeste! Umar, vai e paga-lhe a dívida; entrega-lhe vinte Saa (medida de peso) extras por o teres assustado! Zaid disse: Umar partiu comigo e me pagou a dívida e me entregou os vinte Saa extras. Eu lhe perguntei: Que é isto? Ele disse: O Mensageiro de Deus ordenou-me que te desse, porque eu te assustei. Zaid logo perguntou a Umar: Umar, sabes quem sou eu? Umar disse: Não, não sei Quem és? Zaid disse: Eu sou Zaid b. Sanah. Umar perguntou: O Rabino? Zaid respondeu: Sim, o Rabino. Umar, a seguir, perguntou: Que te fez dizer o que disseste ao Profeta? Zaid respondeu: Umar, vi todos os sinais de um profeta no rosto do Mensageiro de Deus exceto dois: sua paciência e perseverança antecedem a sua ignorância e, a segunda, quanto mais duro és com ele, mais amável e paciente se torna, e agora estou satisfeito. Umar, tenho-te como testemunha e testemunho que não há Deus exceto Deus, minha Religião é o Islam e Muhammad é o meu Profeta. Também te tomo como testemunha que a metade da minha riqueza e eu hoje estou entre os mais ricos de Medina a entregarei pela causa de Deus, a todos da comunidade. Umar disse: Não será possível distribuir tua riqueza entre todos da comunidade. Terás que distribuí-la a alguns
da Comunidade de Muhammad
. Zaid disse: Então distribuirei, em proporção, a riqueza a alguns da comunidade de Muhammad. (Zaid e Umar viraram-se para o Mensageiro de Deus). Zaid disse lhe: Testemunho que nada nem ninguém merece ser adorado senão Deus, e que Muhammad é servo e mensageiro de Deus. Assim foi como se tornou crédulo, morreu na Batalha de Tabuk, quando se enfrentava com o inimigo - que Deus tenha piedade de Zaid. (Ibn Hibban, 288) Um exemplo de perdão se faz evidente quando oferece sua anistia total a todo o povo de Meca, depois da conquista. Quando o Mensageiro de Deus reuniu aqueles que o perseguiram, torturaram-no e abusaram dos seus companheiros, levou-os para fora da cidade de Meca e lhes disse: Que crêem que eu teria que lhes fazer ? Eles disseram: Tu és um irmão e sobrinho bondoso e generoso Ele disse: Retirem-se são livres! (Baihaqi, 18055)

31. Paciência: O Mensageiro de Deus era um modelo de paciência. Foi paciente com seu povo antes do Islã; eles adoravam ídolos e agiam pecaminosamente. Ele foi paciente e tolerante com a perseguição e o mal que os pagãos de Meca lhe causaram, assim como a seus companheiros, e buscou a recompensa em Deus. Também foi paciente e tolerante com o mau trato dos hipócritas em Medina. Foi um paradigma de paciência quando perdeu seus parentes queridos; sua esposa Jadiyah, morreu durante sua vida. Todos os seus filhos morreram durante sua vida, exceto Fátima. Seu tio al-Abbas também morreu. O Profeta foi paciente e buscou a recompensa em Deus. Anas b. Malik disse: Entramos na casa de Abu Saif o ferreiro com o Profeta. A esposa de Abu Saif era a encarregada de amamentar seu filho Ibrahim. O Mensageiro de Deus pegou seu filho Ibrahim no colo, abraçou-o e beijou-o. Um tempo depois, foi ver novamente seu filho que estava agonizando. O Profeta começou a chorar. Abdu-Rahmaan b. Auf disse: Profeta de Deus, tu também choras! O Mensageiro de Deus disse: Ibn Auf, isto é compaixão o Profeta derramou mais lágrimas e disse: Os olhos derramam lágrimas, o coração se entristece, mas somente dizemos o que agrada a nosso Criador. Estamos tristes por tua morte, Oh Ibrahim! (Bujari, 1241)

32. Justiça e Equidade: O Mensageiro de Deus era justo e imparcial em todos os aspectos de sua vida e na aplicação da Legislação Islâmica (Shari’ah). Aishah disse: As pessoas de Quraish estavam muito preocupadas com a mulher Majzumi porque ela havia roubado. Conversaram entre eles e disseram: Quem pode interceder por ela ante o Mensageiro de Deus? Finalmente disseram: Quem melhor para conversar com o Mensageiro de Deus sobre o assunto do que Usamah b. Zaid, o
rapaz mais apreciado pelo Mensageiro de Deus
. Então Usamah falou com o Mensageiro de Deus, sobre a mulher. O Mensageiro de Deus disse-lhe: Usamah! Intercedes, em seu beneficio para desatender um dos castigos impostos por Deus! O Mensageiro de Deus se levantou e pronunciou um discurso, no qual disse: Povos que os precederam foram destruídos porque quando um nobre roubava, deixavam-no livre; mas se um pobre o fazia, castigavam-no. Por Deus! Se Fátima, a filha de Muhammad roubasse, eu ordenaria que sua mão fosse cortada. (Bujari, 3288) O mensageiro de Deus era justo e imparcial, e permitia que os outros se vingassem ainda que ele os machucasse. Usaid b. Hudhair disse: Um homem estava fazendo graça e provocando o riso das pessoas; o Profeta passou ao seu lado e o golpeou suavemente com um ramo que levava. O homem exclamou: Profeta de Deus! Permita me vingar-me! O Profeta disse: Avante! O homem disse: Mensageiro de Deus, tu usavas uma vestimenta quando me golpeaste, eu não! O Mensageiro de Deus levantou a parte superior de sua vestimenta, e o homem beijou seu dorso dizendo: Eu só pretendia fazer isto, Mensageiro de Deus! (Abu Dawud, 5224)

33. Temer a Deus e ser Consciente d'Ele: O Mensageiro de Deus era a pessoa mais consciente de Deus. Abdullah bin Masud disse: Uma vez o Mensageiro de Deus me disse: Recita o Alcorão para que possa escutar-te! Abdullah b. Masud disse: Recito-o para ti e a ti ele foi revelado! O Profeta disse: Sim. Comecei a recitar Surat an-Nisaa, até que cheguei ao versículo: Que acontecerá quando trouxermos uma testemunha de cada comunidade e te trouxermos [Oh, Muhammad!] como testemunho contra estes os incrédulos do teu povo ? [4:41] Ao escutar este versículo, o Mensageiro de Deus disse: Suficiente! Abdullah b. Masud disse: Me virei e vi o Mensageiro de Deus chorando. (Bujari, 4763) A’ishah disse: Se o Mensageiro de Deus via nuvens escuras no céu, passeava inquieto para trás e para frente, saía de sua casa e voltava a entrar. Quando começava a chuva, o Profeta se relaxava. A’ishah disse: perguntei-lhe sobre isso e me respondeu: Não sei; pode ser que seja como se diz: E quando viram uma nuvem que se aproximava dos seus vales, disseram: Esta é uma nuvem que nos traz chuva [Mas seu Mensageiro lhes disse:] Não, é o castigo que pedíeis que lhes sobrevenha. Então um vento lhes infligiu um doloroso castigo, destruiu tudo por ordem do seu Senhor. E quando amanheceu, somente se podiam ver suas moradas [vazias]; assim castigamos aos transgressores.(Bujari #3034) [46:24-25] 34. Satisfação e Riqueza de Coração: Umar b. al-Khattab disse: Entrei na casa do Mensageiro e o encontrei sentado em um tapete. Tinha uma almofada de couro feita de fibras. Uma panela com água a seus pés, e havia alguma roupa pendurada na parede. Suas costas estavam marcadas pelo tapete em que estava recostado. Umar chorou quando viu esta realidade, mas o Mensageiro lhe perguntou: Por que choras? Umar disse: Profeta de Deus! Cosroes e César desfrutam do melhor deste mundo, e tu sofres na pobreza. Ele disse: Não te dá prazer que eles desfrutem o melhor deste mundo, e que nós desfrutemos no Além? (Bujari, 4629)

35. Desejos de bondade até com seus inimigos A’ishah disse: Perguntei ao Mensageiro de Deus: Enfrentaste um dia mais duro e difícil que o da Batalha de Uhud? Ele respondeu: Sofri muito por tua gente ! O pior dia que sofri foi o dia de al-Aqabah quando falei com Ali b. Abd Yalil b. Abd Kilaal (para receber seu apoio e proteção) mas me abandonou. Quando deixei aquele lugar estava muito preocupado; caminhei até que cheguei a uma área chamada Qarn ath-Za’alib. Ergui meu olhar para o céu e notei que uma nuvem me sombreava. O anjo Gabriel me chamou e disse: Muhammad! Deus, o Altíssimo, escutou o que tua gente te disse e enviou o Anjo encarregado das montanhas, para que lhe ordenes o que desejas. O profeta disse: O Anjo encarregado das montanhas me chamou dizendo: Que a paz de Deus esteja contigo! Muhammad, farei o que aches necessário. Se quiseres posso juntar as montanhas Ajshabain e destruir tudo que há entre elas. O Mensageiro de Deus disse: Não, poderia ser que Deus tirasse de entre eles pessoas que creiam em Deus e não o associem.
(Bujari, 3059)