A Correta Vestimenta da Mulher Muçulmana

 

Diz Allah, Louvado e Glorificado Sejas, no Sagrado Alcorão: “Dize às crentes que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atrativos, além dos que (normalmente) aparecem; que deixem seus véus (khumur) caírem sobre si para cobrirem seus decotes (colo) e não mostrem os seus atrativos, a não ser aos seus esposos, seus pais, seus sogros, seus filhos, seus enteados, seus irmãos, seus sobrinhos, às mulheres suas servas, seus criados isentos das necessidades sexuais, ou às crianças que não discernem a nudez das mulheres; que não batam seus pés no chão, para que não chamem à atenção sobre seus atrativos ocultos. Ó fiéis, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis!" (An Nur: 31). E ainda: “Ó Profeta, dize a tuas esposas, tuas filhas e às mulheres dos crentes que quando saírem se cubram com as suas mantas; isso é mais conveniente, para que se distingam das demais (sejam reconhecidas como crentes) e não sejam molestadas; sabei que Allah é Indulgente, Misericordiosíssimo." (Al Ahzab: 59).

Nos versículos acima é clara a evidência que a muçulmana deve cobrir todo seu corpo ao sair às ruas e perante os homens aos quais é lícito o casamento. Vejamos com mais detalhes algumas passagens dos versículos citados.

“... E não mostrem os seus atrativos, além dos que (normalmente) aparecem...” Para alguns sábios, a frase: Além do que normalmente aparecem refere-se aquilo que não pode ser escondido de forma alguma, isto é, a altura da mulher e seu tamanho (peso). Nesse caso a mulher deve cobrir também seu rosto ao sair de casa. Para alguns, o que normalmente aparece, pode ser considerado mãos e rosto!

“... Que deixem seus véus caírem por cima de si e cobrirem seus decotes (colo)...” A palavra em árabe, que aqui foi traduzida como véus, é khumur, plural de khimar, uma peça do vestuário feminino que é jogado por cima da cabeça e cobre toda mulher!

No versículo seguinte temos: “... Que quando saírem se cubram com as suas mantas...” A palavra manta foi usada para referir-se ao julbab, uma sobre vestimenta, uma roupagem externa que cobre a mulher da cabeça aos pés. Fazendo uma analogia para os dias de hoje, podemos dizer que a burca, muito usada pelas muçulmanas no Afeganistão, é uma espécie de jilbab!

E continua: “... Isso é mais conveniente, para que se distingam das demais (sejam reconhecidas como crentes) e não sejam molestadas...” Nessa passagem fica claro que o objetivo da ordem para que as mulheres se cubram é para o benefício destas. A roupa diferencia a mulher mundana da mulher religiosa e a protege dos olhares insinuantes dos homens e dos olhares invejosos das mulheres descrentes!

Para uma mulher muçulmana vestir-se de maneira correta, não basta colocar um véu sobre a cabeça, o traje islâmico, que na realidade é uma sobre vestimenta, cobre toda a mulher, logo, deve ser largo, discreto e não transparente! A muçulmana não se veste para sair às ruas, mas sim, se cobre, obedecendo às ordens de Allah, Glorificado e Louvado Sejas! Ela também não usa maquiagem nem perfumes ao sair. Também não coloca sapatos que chamem a atenção para sua pessoa. A mulher muçulmana sai às ruas protegida, pois ela é uma representante do Povo de Deus e deve ser vista com respeito pelos demais!

A roupa islâmica é uma questão religiosa, uma questão que envolve haya' (pudor), a outra vida e essa. O uso do hijab (aquilo que cobre) não é apenas uma questão de costume ou moda é a maneira universal das mulheres que se comprometeram com a sua fé vestirem-se!

Transmitido por Al Bukhari, na autoridade de Aisha (ra), que disse: “As mulheres de Quraish eram, sem dúvida, boas, mas por Allah(swt), eu não vi nenhuma melhor do que as mulheres dos Ansar na observância do Livro de Allah(swt) e em crer na revelação. Quando o versículo da Surat An-Nur: ““... Que cubram o colo com os seus véus...” (24:31) foi revelado, seus homens voltaram para as suas casas e recitaram-no para suas mulheres. Mal tinham acabado de recitá-lo à sua esposa, filha ou irmã, ou qualquer outro parente feminino, que estas amarravam em suas cabeças um pano qualquer que estivesse à mão, talvez um pedaço de cortina, que tivesse até imagens, de modo que quando elas vieram rezar atrás do Profeta(saws), pareciam como se um bando de corvos tivesse pousado sobre suas cabeças.”

Esse hadiss demonstra a postura de mulheres religiosas, sempre dispostas a praticar de imediato, as ordem de Allah, Louvado e Glorificado Sejas! A beleza da mulher está em seu temor e obediência à Allah(swt) e não somente em sua aparência externa!

Hoje vemos que muitas mulheres usam um véu sobre suas cabeças, mas estão vestidas de maneira não islâmica! Saias e calças justas, blusas coladas ao corpo e belos véus que se assemelham a ornamentos não identificam uma muçulmana, mas sim uma mulher que sente dificuldade em ser obediente à Allah(swt) e então, procura adaptar a moda ao véu islâmico! Essa adaptação não existe! Jamais uma muçulmana se assemelha ou imita outro modelo que não o islâmico! Imitamos aquilo que admiramos e é inconcebível que uma crente admire o comportamento desviado das descrentes!

O Profeta, saas, disse "Quem se assemelha a um povo, então é uma parte deles". (Relatado por Ahmad e Abu Dawood).

A cultura ocidental faz a mulher pensar que o que a torna bem sucedida é sua aparência externa e seus bens materiais. A mulher que adere aos princípios do ocidente deve estar sempre linda, isto é, com roupas que destaquem as partes sensuais de seu corpo, cabelos saídos do salão de beleza, unhas pintadas, boca pintada, olhos pintados. Adornos em braços, pescoço, orelhas. Uma bela bolsa, um belo sapato, vezes de saltos altos com seu toc-toc! E diz Allah, o Altíssimo: “... Que não batam seus pés no chão, para que não chamem à atenção sobre seus atrativos ocultos..." (An Nur: 31).

O que estas mulheres não percebem é que acabam por se tornarem escravas da própria vaidade. Muitas se tornam ocas e só tem a oferecer a passageira beleza física!

Cobrir-se em público não significa abrir mão de sua vaidade ou sua sexualidade, mas sim, não banalizar seus atrativos físicos. Quando a mulher se cobre em público passa a perceber que sua segurança está em saber que seus atos estão de acordo com vontade de Allah, o Altíssimo e não na marca de suas vestimentas!

A muçulmana não deixa de ser bela ao cobrir-se, pois o recato de uma mulher é também uma forma de beleza e deixar com que seus atrativos físicos sejam descobertos apenas por seu marido é ainda mais belo!

Ao comprometer-se com a religião a mulher se torna livre, pois passa a obedecer apenas às ordens de Deus, que apenas institui leis que elevam e dignificam o ser humano! Ela liberta-se da escravidão à indústria da moda, da maquiagem, das lingeries, da sexualidade. Ela deixa de ser vista como um objeto sexual que deve sempre estar pronta para seduzir! Ela aprende que sua verdadeira beleza é seu brilho interior, o brilho das mulheres virtuosas!

Allah(swt) revelou para as mulheres a melhor maneira de se portarem em público. Maneira pela qual se conserva uma sociedade longe do adultério e da corrupção dos valores morais! Maneira pela qual a mulher é dignificada pelo seu real valor e não por sua aparência estética!

As ordens de Allah(swt) foram claramente reveladas no Sagrado Alcorão e, certamente, quem as seguir, terá sucesso nessa vida e na outra!

Que Allah nos facilite o certo, nos afaste do erro e nos faça cada vez mais comprometidas com o Teu din! Allahuma Amin!


Islamismo on-line

O Hijab Moderno